Domingo de trabalho

Domingo de trabalho
Infelizmente, depois daquele encontro tórrido matinal, eu ia de férias que já tinha combinado antes e não podia de forma alguma desmarcar assim do nada… Bolas, as férias iam-me saber lindamente, mas isso implicava não estar em Lisboa durante uma semana, o que por sua vez implicava que nao ia vê-la durante uma semana…

A semana lá se passou, sempre com alguns telefonemas e mensagens pelo meio, até que eu decidi arranjar um esquema qualquer para vir mais cedo para Lisboa… Não podia simplesmente desaparecer sábado em vez de ser apenas no domingo sem levantar suspeitas para os meus amigos e familiares, pelo que decidi inventar uma mentirinha… Não é muito meu costume, mas era a única forma… Aproveitando o facto de que já por vezes tive de trabalhar ao fim de semana e também o facto de ser uma semana em que quase toda a gente tirou férias, lá dei a desculpa de que tinha ido de férias no fim de semana antes descansado, mas que agora teria que ficar de precaução para alguma eventualidade… Era uma oportunidade de ouro, já que ainda por cima tinha a certeza que não ia estar ninguém em casa…

Chegado à estação de comboios, foi mais ou menos como da outra vez… Táxi, direitinho para casa, aproveitando para ir falando das férias e para umas caricias simples nas pernas um do outro e uns olhares marotos… Estava calor e ela vinha cá com um decote provocador… Acho que ela percebeu bem logo na primeira vez o quanto eu adorei aquelas mamas! A viagem foi rápida e quando cheguei ainda dei uma pequena gorgeta para nem esperar troco… Confesso que estava um pouco ansioso, mas ela estava igual… Parecíamos dois adolescentes às escondidas… No entanto, ambos sabíamos perfeitamente o que queríamos e o que iria acontecer dentro de minutos…

Já dentro de casa, passaram apenas poucos segundos entre o fechar da porta e o momento em que nos abraçámos e começámos a devorar os lábios um do outro… Ficou tudo ali no corredor e fomo-nos encaminhando para o quarto agarrados um ao outro! Os nossos lábios não descolavam de maneira nenhuma, as nossas línguas enrolavam-se num desejo louco, numa luta tremenda e bem gostosa. Sentei-me na borda da cama e ela inclinou-se um pouco para me poder beijar, enquanto as nossas mãos puxavam um para o outro e iam explorando o corpo um do outro…

Sempre que olhava de relance para aquele decote, a minha vontade de tocar e de beijar aquelas mamas aumentava cada vez mais… É que ainda por cima estando ela naquela posição semi-inclinada, parecia que aquelas mamas deliciosas iam saltar para fora a qualquer momento!!! Não resisti e enquanto a beijava, fui-a apalpando por cima da roupa com uma mão e puxando-a para mim com a outra até a sentar em mim sobre a borda da cama. Mudei o meu foco de atenção e comecei a beijar-lhe o pescoço suavemente, dando-lhe ligeiras e suaves trincas, coisa que a fazia delirar… E como já era minha vontade à muito, não tardei muito a fazer-lhe um ataque cerrado aquele peito bonito, quer através de beijos e umas boas lambidelas por aquele decote ousado quer através das minhas mãos que iam partindo à descoberta por dentro da blusa dela…

Acho que já deu para perceber que uma das partes que mais me atrai no corpo da mulher é sem dúvida o peito e ela percebeu isso perfeitamente… E o melhor é que ela gostava daquele tratamento especial que eu lhe dedicava aquela parte do corpo, pelo que rapidamente levantou os braços para cima convidando-me a tirar-lhe a peça de roupa, ao mesmo tempo que ela própria me começou a tirar a t-shirt. Logo depois, ela provocou-me e perguntou-me algo do género “estás ansioso por senti-las nas tuas mãos e por mamar nelas não estás?”… Que pergunta, nem eu queria outra coisa, até que ela me agarrou nas mãos e eu pensava que ela as ia colocar nos seus seios ainda cobertos por um soutien sexy preto… Puro engano!!! Empurrou-me para trás na cama, segurou-me as mãos e prendeu-as debaixo do seu corpo e foi encostando aquele peito na minha cara de uma forma muito sensual e provocante!! Confesso que adorei a surpresa! Lentamente, ela foi tirando o soutien e deixando à mostra aquelas mamas lindas, que eu comecei a beijar e a lamber enquanto ela as esfregava em mim… Mmmm que tesão eu já sentia! Ao passar os mamilos pelos meus lábios, não me fiz rogado… Acho que parecia um bébé esfomeado a mamar, mas se eu estava a adorar, ela então delirava e gemia, oferecendo-me o outro mamilo pedindo-me para não parar… E como é óbvio, fiz-lhe a vontade e dediquei-me à causa!

No meio de tanta excitação, nem me apercebi que já não tinha as mãos presas debaixo do corpo dela… Com ansiedade, despimos as calças um do outro e assim que a vi só de cuequinhas fiquei deliciado com aquela mulher que tinha à minha frente! Que se lixe a diferença de idades!

Comecei a percorrer aquele corpo com os lábios, com a língua e com as mãos, examinando cada centímetro ao pormenor… Beijei-lhe a boca, a face, as orelhas, o pescoço… Fui descendo lentamente pelo seu peito, pela barriga… Coloquei a cabeça por entre as pernas delas e fui-lhe beijando e lambendo as coxas delicadamente… Aos poucos, ia-me aproximando de “zona perigosa”… Até que, à semelhança do que já lhe tinha feito no primeiro encontro, decidi atacá-la…

Mmmmm como eu adoro sexo oral… Beijei-a e espetei-lhe a língua com vontade, mesmo estando ela ainda de cuequinhas vestidas… Mas eu queria mais… Tinha ficado prometido uma “maldade”, aquela que ela não tinha querido da outra vez por pensar que eu a queria penetrar… Depois disto, só posso dizer que ela se arrependeu bastante… Tirei-lhe aquela peça de roupa que faltava e olhei embevecido para aquela coninha que me aguardava…

Retomei os beijos nas zonas envolventes, aproximando-me lentamente, começando a beijar suavemente os lábios daquela coisinha tão apetitosa… Fui aumentando de intensidade e pouco tempo depois já a minha língua saía por entre os meus lábios dando pequenas lambidelas… Ela gemia baixinho e ia-me afagando a cabeça com as mãos… Tornei-me mais audaz, encostei a língua naquela fenda bem molhada e comecei a percorrê-la com lambidelas mais longas… Ia alternando entre lambidelas longas e entre ir-lhe espetando a língua progressivamente na coninha, provando aquele melzinho todo delicioso… Ela já gemia com mais intensidade e delirou quando comecei a dar um beijo de linguado na coninha, tentando enfiar-lhe a minha língua o mais possível…

Ela não resistiu e puxou-me para cima, quase que implorando-me que a fodesse… Calma… Isto ainda estava a começar e a “maldade” longe de terminar… Depois de me roçar nela, provocando-a novamente, dei a machadada final no oral… Depois de a lamber durante mais uns instantes, foquei-me no clítoris, chupando-o, ao mesmo tempo que fiz um dedinho deslizar dentro dela, imediatamente seguido de outro… Comecei a masturbá-la com dois dedos enquanto a minha boca não dava tréguas aquela coninha boa… Aumentei um pouco o ritmo e ela não resistiu durante muito tempo, até que gemeu mais salto e eu senti uma contracção mais forte sobre os meus dedos… Estava-se a vir na minha boca e nos meus dedos!

Agarrou-me na cabeça e puxou-me para cima, mas desta vez muito determinada… Os nossos corpos quentes e transpirados estavam colados um no outro e ansiavam por mais, roçavam-se procurando-se um ao outro… Ela estava em brasa, impaciente por me sentir… Com uma mão, agarrou-me no pau bem teso e pediu-me para a penetrar… Queria provocá-la mais, mas também eu estava a arder de tesão e impaciente por poder invadi-la… Quando senti a cabeça no meio daqueles lábios, projectei o meu corpo para a frente suavemente e senti-me desaparecer dentro dela… Que sensação deliciosa, que molhadinha que ela estava!! Senti-me deslizar até não poder mais e parei um instante a saborear esse momento, beijando-a suavemente… Mas o desejo de ambos era muito e tudo se tornou num momento louco, de puro sexo e desejo carnal!

Comecei a fodê-la com penetrações rápidas enquanto a puxava mais e mais para mim e lhe ia beijando o pescoço, os lábios, as mamas… Ela gemia e puxava-me de encontro a ela… Esta primeira foda era puro desejo e o grau de excitação era mais que muito! Ela já tinha tido um primeiro orgasmo com aquele minete delicioso e quando ela me sussurou “vem-te comigo, quero-te agora!”, não demorei muito… Se eu já estava quase quase no ponto e com alguma dificuldade em conter-me, com um pedido daqueles não resisti mais! Vim-me, vim-me com muito prazer!… Ela gemeu mais alto quando me sentiu ejacular, os gemidos de ambos misturados, respirações muito ofegantes, jacto após jacto saía do meu corpo e entrava no dela, tudo isto enquanto eu jorrava leitinho nela e lhe inundava aquela coninha deliciosa…

Mesmo depois de ter parado de me vir, mantive-me dentro dela ainda teso, afastei-lhe os cabelos da cara e olhei-a com satisfação. Beijei-a demoradamente e suavemente, dando-lhe ainda ligeiras estocadas, como se quisesse deixar-lhe tudinho… Ficámos abraçados durante mais algum tempo, dando beijos um ao outro e fazendo algumas carícias… Sem dúvida, dois autênticos apaixonados a saborear e a descansar de um excelente momento, tendo em vista a continuação de uma noite que ainda seria algo longa…

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir