Não! Que isso, você é meu tio!

Amateur

Não! Que isso, você é meu tio!

– Então, melhor comigo, não? Mais seguro, sem chateação.

– Se papai souber, ele te mata, me… mata.

– Conto não, juro. Você sabe que eu… que sou discreto.

– E a tia? E a mãe?

– Que tem que sua tia?

– Gerson! Tio! Para! O que que tem? Se elas souberem… o que que tem, ahn?

– Boba, você viu como me deixou… me provocou e eu fiquei… não fiquei?

– Coisa de menina, cê sabe que todas fazem, que ainda mais que sou!

– Menina, pois sim… nessa hora vira menina, né? Menina com esses peitos, essas pernas, essa cara de safada. Eu sei tua idade garota.

– Duvido, cê não sabe a idade do Bruno, a tia fala que você não lembra.

– Fez dezessete não foi? Eu sei… fala se eu errei, errei?

– E daí se acertou… aquilo não foi certo, não devia… foi errado. Mas você também não podia.

– Fiz o que você pediu… tirei… mostrei… só pra te matar a vontade. Eu vi que você viu, que eu fiquei, quem não ficaria? Com você olhando, rindo… querendo… deixei… pegou porque quis, não foi? Gostou?

– Aah!! Sei lá… não me olha assim… tá e daí? Nem foi o primeiro…

– Que pegou? Viu?

– Não foi… hã,hãaaa. Vi outro.

– Viu é? E pegou, segurou?…

– Bati… bati pra ele…

– Piranha, se sua mãe souber!!

– Eu só bati tio. Bati… fiquei curiosa, toda garota fica, quem não fica? E aí… ele…

– Gozou? Gozou na tua mão.

– Aí tio, para! Que coisa mais chata, tem horas que cê parece um babaca, sabia?

– Achei que fosse o primeiro? Achei que você me queria?

– Não foi o primeiro que eu vi!… Mas eu quis… quero…

– Então?

– Aqui, agora?

– Mostra… tira… deixa eu ver… A blusa também…

– Só eu? E tu?

– Tá bom assim?

– Levanta e mostra… tira… háhá…

– Safada… Pega… bate…

– Cê tá muito gordo, peludo… não gosto disso peludo assim…

– Me dá um trato. Abre… vem… aaaahhhh!!! Só na ponta, só no lábio…aaaaa!!! Passa a língua, lambe… isso… lambe…

– Cê tá ridículo!! Um babaca de um tio ridículo.

– Chupa, chupa… Chupou o dele, chupou?

– E daí se chupei?

– Gostou?

– Só bati… ele nem deu tempo, gozou aquela coisa gosmenta, nojenta.

– Lambeu?

– Para! Chega, que coisa chata! Seu velho gagá.

– Velho, mas você quis… quer? Não pegou, não tá chupando?

– Cala a boca, velho tarado. Aposto que só quer me lambuzar a cara, e depois nem me olhar ‘na’ cara… fala se não é?

– Você é que pediu que eu tirasse, mostrasse… eu só queria de fazer um agrado, um jeito que a maioria gosta… quer… eu mostro, falei que faço.

– Então faz, vem? No final me lambuza… a cara.

– Abre… se inclina, deita mais…

– Assim? Tá bom?

– Mais, mais, abre as pernas, segura nos tornozelos…

– Que cara tio, nunca viu uma? Uma assim… novinha assim?

– Nunca assim… nem parece que deu, que te comeram.

– Não comeram.

– Jura?

– Hammm hammm… nem ele… nem outro… sempre quis…

– Quis o que?

– Você.

– Eu, porque?

– Sei lá, te acho um gato. Essa barba, essa boca… no grelinho… só lá me lambendo, me fazendo horrores… chupando, te imagino cuspindo… cospe!!. Aaaaíiiii… aaaaíiiiii…. tio tio tiotiotioooooooo… mmmmmm… faz… faz com os dedos… com a boca, a boccaaaaaíiiiiii

– Segura, segura as pernas meu bem. Os pés… prende bem, fica tranquila… vai ser tudo de bem, de bom… Deixa a xaninha contar, dizer… elas sempre falam, mostram como querem…

– Ela tá falando, tá? O que que ela tá dizendo? Essa louca… doida varrida!

– Ela quer… quer muito, precisa… eu sei que precisa, tá dizendo que não aguenta, quer virar moça, mulher… emputecer que nem louca.

– Eu sei, eu aaahhh!! Eu sei que ela quer, o que que eu faço tio? Me ajuda!

– Ajudo meu bem… vou brincar aqui… é bom aqui, não é? Sempre é.

– É… é bom… eu gosto… aíiiiii… mexe assim, assimmmm…. tio!! Ninguém nunca…

– Eu sei, que bom… que ninguém nunca fez, nem ele.

– Nem ele, ninguém. Ela só queria você… os dedos, a boca…

– Tá vendo… elas sempre falam… tem que deixar viu, deixar ela falar, fazer o que ela quer… quando quiser, precisar, viu?

– Eu sei, eu sei… eu fiz, não fiz? Ela queria, queria sim… assimmm…

– Vou enfiar dois dedos meu bem, só dois dedos… relaxa… me olha nos olhos, isso garota. Alisa, vai, alisa o grelinho, bonitinho. Mostra, faz, como faz quando fica de desejo, sonhando com esses garotos da rua…

– Não!! Só penso, penso em você, ela só quer você…

– Quer só eu? Só seu tio, é? Então deixa ela se mostrar, abrir.

– É assim que ela faz, quando, quando… ela obriga, me obriga, me faz fazer pensar no senhor… tio, por favor.

– Deixa, deixa ela falar, contar, mostrar tudo que essa louca, louca… mais quer, me quer… não é?

– Ela quer… me obriga, me manda… fazer… Tiooo… que que eu faço? Ela me tara, me trava e eu…. eu não consigo… não dá para… não paro. Ela te quer, só o tio…

– Só, só o tio? Só dele?

– Precisa, me endoidece, escraviza, me faz sonhar coisas, loucuras.

– Linda, linda… essa menina é tão bonita. Tu precisas cuidar bem dela. Fazer o que ela manda, deixar que tio… o tio sabe, o tio faz, faz pra você, pra ela.

– Então faz… faz… ela…

– Eu sei, eu sei….sssshhhh, relaxa.

– Por favor!!!

– Sentiu… tá entrando, nossa apertadinho… tão, tão… meladinho…

– Aíiii Tiooooo… uuuíiiii….

– Me olha, me olha nos olhos. Encara, presta atenção no meu rosto… assim, isso, se acalma, calma… Tá abrindo, te abrindo garota, abrindo pro mundo, pra vida…

– Eu sei, eu sei, eu seiiii…. Aaaaa… Aaaaíiii… Tiooo, tio, tio, tiotiotiotiotiotoooo

– Delícia, isso! Ela comeu os dedos, doce, doce… Esse melado deve tá tão gostoso… eu quero viu?… Guarda pra mim.

– E você acha que é pra quem? Aaaaaíiiiiii…. uuunnnnnhhhh!!!!

– Eu só tô mexendo os dedos meu bem, mexendo pra excitar, relaxar, fica nervosa não? Me encara, me olha… Deixa ver sua boca, a língua… mostra… quer me chupar quer?

– Quero… quer? Mas primeiro come, me come.

– Quer que eu c*** você agora? Aqui… não é só pra brincar, só pra te matar o desejo…

– AAaaaahhhh, não!! Né não… ela, ela…ela quer agora.

– Pediu, falou… Agora?

– Aqui… ela quer seu pau, duro grosso. Me furar, rasgar… ela, ela quer me sofrer…doerrrr… Que que eu faço tio?

– Te ajudo? Juro, não doí. Eu mostro, primeiro segura as pernas, os joelhos…

– Assim?

– Mais… deita mais… se abre, segura… assim… olha, me come com os olhos… Isso, assim, desse jeito.

– Hammm, haammmm…Assim? Aaaaaaíiiiiiii…. aaaaaaa….

– Ssssshhhh! Sssshhh!!! Olha, olha pra mim presta atenção. Tô aqui só pra você, pra ela. O tio Gerson… não vai doer, não vai, juro…. Primeiro pincelo, brinco, espalho esse melado gostoso… aaaaaa… melado doce da minha menininha, lindinha… bonitinha… lembra quando eu te pegava no colo?

– Tio, tio!!! Aaaaíiii. Aaaíiiii….

– Te segurava, embalava, lembra? Confia… deeixaaa a cabecinha do tio tá entrando… te furando… tá vendo… Vai abrir a boquinha rachadinha, assim,assimmmm…

– Tá quente, quente…

– Eu sei, espera… melhora… agora… assimmmm… Nossa!! Tão tão …aaaper…..

– Uuuíiii… aaaaaaahhhh!!!!

– Calma, calma… relaxa… esfria… meu bem, me olha, olha

– Tá doendo tio, tá ardendo…

– Tá não, isso é só medo, medo. O tio tá aqui, o tio sabe, relaxa… deixa.

– Confio, confio, fioooooo…. aaaaaaahhhhhh…. ttiiiiooooooo….

– Entrou, entrou meu bem… Tô sentindo, sentindo a bucetinhaaaa… quentinha, apertadinha…. mollhadinnn uuunnnnhhhhh!!!

– Tio, tio, tiooooooo!!!! Aí meu Deus!!! Furou tudo, rasgo, entrou? Entrou?

– Entrei… falta só um pouquinho, coisinha de nada. Viu… sentiu, tá no fundo… dentro, dentro dela, de você no fundinho da minha garota… sente…

– Tioooohhh!!!

– Ssssssshhh!!! SSSsssshhhh… relaxa… Pronto, pronto… o tio agora vai….

– Me beija, vai… beijaaaa…

– Doíiii?

– Só arde… arde…

– Relaxa… o tio tá aqui… vai parar de arder, cê sabe que eu sei. Te ajudo, segura os pés… assimmm… vê…

– AAAaaaaa…. aaaaannnhhhh!!!

– Tá melhor… melhor?

– Melhor, melhor… aaaaannhhhh!!!

– Deixa garota, deixa. Deixa vir, vem… acredita em mim, só você… só ela… Mostra, faz, faz pro tio ver, faz!!

– AAAannnnhhhh…. Eu sei, eu sei… ela quer… o senhor sabe, como ela é.

– Sempre soube.

– Pois éeee… AAAaaaaaaa…. Precisaaaaahhh…

– Sssshhhh, eu sei eu sei, sei… Nossa tão gostosaaa… Mmmmmm… Ooohhh… nunca peguei uma assim… tão….

– O que? Fala… conta, conta pra ela…

– Docinha, molhadinha… apertada… bucetinha da minha garotinha…

– Eu sei… ela é… Ainda éeee….

– Tá bom assim? Cê vai amar assim… O tio sabe… se solta, solta… deixa, deixa vir… Eu vou mexer gostoso, rápido, assimmm, via ver, cê vai amar, não vai?

– Tôooo…

– Diz o que você… o que ‘ela’ quer, dizzzz…

– Tiiiooooohhhh!!!. AAaaahhhh… tiooooo…

– Fala? Pede, pede pro tio, o tio faz.

– Goza… goza no fundo… no fundo dela…empapa… aaaaahhh….

– Gozo meu bem, vou gozar no fundo, dentro delaaaa… aaaaahhhhaaaa… pra elaaaa… nunca esquecer do tio, viu? Nuncaaa…..

– Nunca nuncaaaa nuncaaaaaaaaaa

– Goza, gozaaaa vai… mostra… se deixa vir primeiro, vem….. assimmmm… berra…

– Me beija!!!!

– Deixa o tio ver, adoro adoro ver assim… berra, berra pro tio, berraaaa!!!

– Tioooooohhhhhhh!!!!!!!!

– Marina, Marinaaa… acorda menina… acorda!!!

– Haannnnh!!! O queeee?

– Nossa cê tá toda suada, molhada. Outro pesadelo?

– Nãoooo…. Não seiiiii… Droga…

– O que?

– Sonhei…

– Parecia que nem queria acordar, nossa!! Acordou a casa toda.

– Foi?

– Foi. Tá melhor da gripe?

– Tá, tô… sei lá!

– Ainda bem que seu tio ficou com você.

– Tio?

– Não lembra, o Gerson ficou a tarde toda com você.

– Ah, éeee!!! Esqueci…

– Ainda deve ser a febre. De manhã tava pior.

– Éeee… melhorei, não foi?

– Bem que seu tio falou, você melhorou. Ele sabe, disse que curava em dois tempos.

– Falou é?

– Não lembra? Falou… saiu daqui parecia um menino, garoto, nem parecia o sisudo de sempre, parecia até que ganhou na loteria.

– Ganhou?

– O que, sei lá? Nãoo!! Se fosse ele falava…

– Seráaaa?!!

– Para Fernanda, deixa de implicâncias com seu tio… Afinal ficou aqui a tarde toda só por sua conta… ainda bem nem sei como faria se ele não tivesse vindo… Dorme, vai.

– Tô melhor, melhorei.

– Se vê já tá implicando com o Gerson, como sempre.

– Que isso mãe! Bobagem sua.

– Tá bom, mas depois vê se agradece seu tio, afinal nem precisa ter vindo, veio só porque tava preocupado com você, ainda bem. Senão como é que eu saia.

– Tá bom mãe, tá bom…

– Dorme… Amanhã, vê se liga pra ele pelo menos e dá uma de educada e mostra que gosta dele, pelo menos finge.

– Tá bom, tá bom… eu finjo… finjo.

– Tchau. Vê se dorme, viu?

Diga se gostou. Deixe seu comentário.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir