No Baile Funk com a Maninha Parte1

No Baile Funk com a Maninha Parte1
Um dia qualquer minha irmã chega a mim e me convida para ir a um baile funk junto a duas amigas suas. Me convida pois sabia que nossa mãe não iria ficar tão preocupada se eu tivesse junto. Vi ali minha chance de passar a noite toda encoxando minha irmã sem medo que alguém ficasse notando ou crucificando tal ato. A princípio iria ir vestido com uma calça jeans e uma camiseta justa no corpo, mas quando a vi pronta para o baile, mudei de ideia. Ela estava vestida com uma espécie de vestidinho, que ao invés de ser uma saia, era um shorts a parte de baixo. Me perdoem pela minha ignorância quando a conhecer esta veste, apenas não sei especificar. Postarei uma foto de sua roupinha do dia, só ir ver no album que fiz para ela. Mas voltando ao assunto, ela estava vestida com aquele vestidinho/shorts, na cor verde, feito de um material bem fininho, que realçava suas curvas quando ela caminhava. Estava usando um boné preto e seu cabelão solto. pensei comigo mesmo que se eu usasse aquela calça jeans, não iria conseguir sentir seu corpo quando tentasse encoxá-la. Troquei a calça por uma bermuda de moletom, que me proporcionaria senti-la totalmente. Eu já estava com minha respiração ofegante somente por estar perto dela. Fomos ao baile, junto de duas amigas suas, com o carro que era de uma delas. Eu e minha irmã fomos sentados nos bancos de trás. Quando chegamos ao clube onde estava acontecendo o baile, a entrada já estava tumultuada, cheia de gente, minha irmã pegou a minha mão e foi me puxando junto as amigas para que não nos separássemos. Fomos entrando pela porta, e enquanto os seguranças pegavam os ingressos e revistavam as pessoas, aproveitei a grande quantidade de pessoas ali e colei atras da minha irmã. Ela estava com sua mão direita segurando a minha junto a sua barriguinha, e sua mão esquerda segurando uma de suas amigas. Enquanto estava colado atras dela, lutava com todas as forças para não gozar ali, pois já não aguentava mais. E quando pensava que ela estava sentindo meu pau enorme e duro roçando sua bunda e simplesmente nem tentava se afastar de mim, aquilo alimentava minha imaginação de que ela estava gostando. Quando o segurança me chamou para me revistar, eu o amaldiçoei por ter me tirado daquele paraíso em que estava vivendo. Já lá dentro, o salão estava lotado, muitas mulheres gostosas, mas havia apenas uma que eu sentia desejos, a minha própria irmã. Começamos a beber cerveja e ela dançando aquelas musicas, de uma forma que estava deixando a todos babando. Muitos caras chegavam dando em cima dela, mas ela só queria curtir a noite. Perguntei se ela estava afim de ficar com alguem, e ela me respondeu que não, que nessa noite só queria dançar. Dei a ideia de ficar proximo a ela para que pensassem que ela estava comigo, afinal, ela era uma das mais desejadas do baile. Ela concordou e me puxou proximo a ela para que dançasse com ela, mas eu não sei dançar esse tipo de musica. Ela mandou apenas acompanhá-la na dança que já estaria ótimo. Não pensei duas vezes e cheguei atras dela e começamos a dançar, nós todos já um pouco bêbados. Mesmo eu tendo colocado uma cueca apertada, ainda assim, o volume na minha bermuda estava evidente. Em um dos momentos minha irmã estava dançando rebolando no meu pau duro e me olhando com uma cara de safada, quase que me pedindo para mim meter todos meus 24cm dentro dela sem piedade. Eu com minhas duas mãos segurando firme sua cintura, a puxava de encontro a minha mala volumosa. Quando olhei para o lado, vi uma de suas amigas, tomando um gole de cerveja enquanto me olhava com sinal de reprovação. Fiz sinal com meu rosto para ela de quem não estava entendendo, e ela se aproximou de mim e me falou ao ouvido: ” – Pega leve, não esqueça que é sua irmã, recomendo que pare de beber.” Eu apenas dei uma gargalhada para ela e segui o ritmo. Quando a musica parou, eu continuei com minhas mãos em sua cintura, ela pegou minhas mãos, e me fez abraçá-la, com sua bundinha perfeitamente encaixadinha no volume de minha bermuda. Ficamos desse jeito enquanto o DJ falava. Eu estava com meu queixo na parte de cima de sua cabeça, quando senti que iria gozar, e não iria conseguir segurar, pra ser sincero não queria segurar. Eu baixei um pouco minha cabeça, fiz com que minha boca ficasse na parte de tras de sua cabeça, com meu nariz na parte de cima de sua cabeça, fechei os olhos e deixei meu pau jorrar leite para a gostosa da minha irmã. Segurei com mais força minha irmã, enquanto meu pau pulsava encaixado a sua bunda, aproveitei o DJ falando e deixei soltar aquele ar de prazer preso dentro de mim. Minha irmã sentiu algo de errado e virou seu rostinho de princesa na direção de meus olhos. Eu ainda estava gozando. Consegui gozar olhando diretamente a ela. Ela me perguntou o que tinha acontecido e eu disse que achava que a cerveja estava me fazendo mal. Fui diretamente ao banheiro. Já dentro do box do banheiro vi o tamanho da gozada que dei, pois, estava bem a mostra em minha bermuda. Estava toda encharcada de leite pela minha irmã. Pelo fato de a bermuda ser escura, não dava para ver muito bem, mas dava para sentir que estava molhada. Esperei passar um pouco aquele tesão todo e voltei para a pista de dança com minha irmã…. CONTINUA… >>>> PARTE 2.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir